• Soluções Jurídicas
  • Direito Cooperativista
  • Direito do Consumidor
  • Direito Previdenciário
  • Direito Empresarial
  • Cuiabá - Mato Grosso
 
  Quarta-Feira, 12/12/2018
Nome:
E-mail:
Seu amigo:
E-mail dele:
Assunto:
Comentário:
Vítima de acidente deve ser indenizada em R$ 30 mil por empresa de ônibus
06/07/16 - 12:00
Por: TJMS
Fonte: TJMS

 
Na prestação de serviços há responsabilidade civil de naturaza objetiva, ou seja, é uma sanção imposta àquele que causa dano moral ou material a terceiro independe de culpa.

Os desembargadores da 1° Câmara Cível, por unanimidade, negaram provimento ao recurso interposto por uma companhia de transporte interestadual em face da sentença que a condenou a pagar R$ 30 mil, por danos morais, a M. A. B. S. por um acidente que causou a invalidez da vítima.

O acidente, ocorrido na MS-395, no dia 24 de julho de 2014, quando M. A. B. S. estava sendo transportada pela empresa, aconteceu porque o motorista do ônibus, para evitar uma colisão, manobrou bruscamente o veículo para o acostamento da rodovia, mas pelas condições precárias da estrada ele acabou tombando e causando o acidente que deixou a vitima inválida permanentemente, com danos ao seu membro superior esquerdo.

A empresa alega que o acidente ocorreu por culpa de terceiro, pois quando o motorista percebeu uma possível colisão entre o carro que trafegava na sua frente e outro veículo que vinha no sentido contrário, decidiu jogar o ônibus para o acostamento para não se envolver na batida, mas tombou pelas condições precárias da rodovia. Alega, ainda, que o motorista não praticou nenhum ato que seja contrário às leis de trânsito e também que não houve descaso com a vítima, pois pagou todos os custos hospitalares. 

Por fim, pede a redução do valor da indenização já que não houve ofensa à honra ou reputação da recorrida.

Tendo em vista os relatos acima, o relator, Des. Divoncir Schreiner Maran, entende que a culpa não cabe a nenhuma das partes, mas que a responsabilidade contratual da empresa não se anula por culpa de terceiros.

O relator também fala que na prestação de serviços há responsabilidade civil de naturaza objetiva, ou seja, é uma sanção imposta àquele que causa dano moral ou material a terceiro independe de culpa. 

O valor da indenização foi fixado em R$ 30 mil, pois a vítima tem 60 anos de idade e o acidente causou-lhe invalidez e pela dor psíquica sofrida por ela, levando em conta a gravidade da lesão, o carácter punitivo da medida, a condição socioeconômica da vítima e o efeito pedagógico da punição, mantêm-se a decisão da primeira instância.

“Assim, não há falar em afastamento do dano moral, haja vista que qualquer pessoa, ao ser violada na sua integridade física por fatos alheios à sua vontade e que não derivaram da sua culpa ou participação, fazem jus ao recebimento da indenização. Assim, nego provimento ao recurso.”

Processo nº 0801117-80.2015.8.12.0026

 
Conteúdo relacionado
18/12/17 - Turma reconhece dano material decorrente de incapacidade parcial para o trabalho
13/12/17 - Reforma Trabalhista - Principais mudanças
28/11/17 12:00 - Tribunal inocenta empresa de acidente com fiação elétrica que deixou trabalhador com sequela
01/06/17 10:00 - Turma reverte relação de emprego declarada entre motorista e Uber
06/12/16 12:00 - Sem dupla visita, auto de infração contra pequena empresa é nulo
21/09/16 10:00 - Trabalhador incapacitado temporariamente receberá pensão limitada ao tempo de convalescença
Frigorífico no RS não pagará horas de deslocamento a auxiliar de limpeza que ia a pé ao trabalho
26/04/16 12:00 - Trabalhadora que sofreu aborto espontâneo após ajuizar ação receberá indenização de 15 dias
 
Quem Somos
Advogados
Áreas de Atuação
Imprensa
Localização
Parceiros
Contato
Notícias
Artigos
Modelos de Documentos
Galeria de Vídeos
Galeria de Fotos
Links Úteis
Telefones Úteis
Conheça Mato Grosso

 

     


Todos os Direitos Reservados - 2014
Martins & Mello Advogados - Cuiabá - Mato Grosso