• Soluções Jurídicas
  • Direito Cooperativista
  • Direito do Consumidor
  • Direito Previdenciário
  • Direito Empresarial
  • Cuiabá - Mato Grosso
 
  Terça-Feira, 07/12/2021
Nome:
E-mail:
Seu amigo:
E-mail dele:
Assunto:
Comentário:
Queda de árvore sobre veículo estacionado em via pública gerou para o município o dever de reparar os danos
05/09/12 - 18:00
Por: UJ
Fonte: TJPR

 
Nesse ponto, como bem apontou o juízo a quo está provada a omissão do município, porque omitiu as providências necessárias para erradicação da árvore (...)

O Município de Maringá foi condenado a pagar R$ 29.073,50, por danos materiais, ao proprietário de um veículo (camionete GM/S-10) danificado por uma árvore (cujas raízes estavam podres) que caiu sobre ele, em 5 de abril de 2009, quando estava estacionado em uma via pública.

Essa decisão da 1.ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Paraná reformou parcialmente (apenas para reduzir o valor da indenização) a sentença do Juízo da 4.ª Vara Cível da Comarca de Maringá que julgou procedente o pedido formulado na ação de indenização por danos materiais ajuizada por A.M.D.P.B. contra o Município de Maringá. 

A relatora do recurso de apelação, desembargadora Dulce Maria Cecconi, consignou em seu voto: "Há, neste caso, robusto acervo probatório do dano sofrido (fotografias do automóvel, requerimento administrativo de indenização, depoimentos testemunhais), do nexo de causalidade (de que o dano decorreu da queda da árvore sobre automóvel do autor), e da culpa estatal [...]".

"Com efeito, o Parecer Técnico de fl. 21 é categórico ao concluir que a árvore que caiu sobre o veículo do autor "apresentava podridão de raízes", fato que concorreu para sua queda. Esse aspecto, conforme observado no mesmo parecer, e comprovado às fls. 19/20, era de conhecimento da municipalidade, eis que duas solicitações de remoção de tal árvore já haviam sido feitas antes do acidente (protocolos nºs 147285 e 170333, datados de 07/05/08 e 27/10/08, respectivamente)."

"Nesse ponto, como bem apontou o juízo a quo ‘está provada a omissão do município, porque omitiu as providências necessárias para erradicação da árvore, que o autor pedira muito tempo antes do acidente, porque as raízes já estavam visivelmente podres e o risco de ruína da árvore era evidente até para os leigos. Ciente disso, porque recebeu do autor o pedido de providencias, o município nada fez. Só por isso, porque o município se omitiu no cumprimento de prevenir o acidente, removendo a árvore doente, esta caiu sobre o veículo‘."
 
(Apelação Cível n.º 855504-4)
 
 
Conteúdo relacionado
13/11/13 09:20 - Juiz pode bloquear verbas públicas para garantir fornecimento de remédio a pessoa necessitada
07/01/13 09:00 - Estado deve assegurar ao cidadão direito à saúde
07/06/12 18:00 - CEF deve quitar todos os contratos de financiamento de imóvel celebrados até 31/12/1987
19/10/11 16:20 - Ação de complementação previdenciária compete à justiça comum mesmo que origem seja contrato de trabalho
17/10/11 16:05 - Aposentadoria deve ter fator do ano do pedido
13/10/11 10:30 - Tempo de auxílio-doença conta para a aposentadoria especial
11/10/11 10:00 - Justiça amplia lista de doença que dá benefício
10/10/11 13:00 - Aposentadoria comum pode virar especial
 
Quem Somos
Advogados
Áreas de Atuação
Imprensa
Localização
Parceiros
Contato
Notícias
Artigos
Modelos de Documentos
Galeria de Vídeos
Galeria de Fotos
Links Úteis
Telefones Úteis
Conheça Mato Grosso

 

     


Todos os Direitos Reservados - 2014
Martins & Mello Advogados - Cuiabá - Mato Grosso